Vinte e seis onças foram mortas por fazendeiros nos últimos meses

Ativistas pelos direitos animais e cientistas estão alarmados com o aumento do número de mortes de onças-pintadas no Panamá: entre janeiro e setembro deste ano 26 onças foram mortas.

Uma pesquisa publicada no Journal for Nature Conservation e apresentada no 20º Congresso da Sociedade Mesoamericana para Biologia e Conservação revelou que as onças foram assassinadas no país por várias pessoas, desde guias turísticos a fazendeiros. Muitas vezes, os assassinatos foram realizados em retaliação à predação das onças por vacas, ovelhas e cães.

“Temos evidências de que os fazendeiros mataram pelo menos 230 onças no Panamá entre 1989 e 2014”, disse em comunicado Ricardo Moreno, pesquisador associado do Instituto Smithsonian de Pesquisas Tropicais (STRI) no país e um dos autores do estudo.

“Há motivos que nos fazem acreditar que o número real de mortes pode ser o dobro o triplo. Em 2015, 23 onças-pintadas foram mortas. Em 2016, até setembro, 26 onças-pintadas foram assassinadas”, completou.

Moreno, que também é diretor do Yaguará Panamá Foundation, especula que a expansão das áreas agrícolas e urbanas em novos projetos de desenvolvimento tem obrigado as populações de onças a se estabelecer em áreas montanhosas íngremes.

Além disso, o aumento do consumo humano de queixadas, que é uma das principais fontes de alimento de onças-pintadas, força os felinos a procurarem animais domesticados.

Para o estudo, os pesquisadores coletaram dados de pesquisa de 15 parques nacionais e em ambos os lados do Canal do Panamá entre 2005 e 2014.

Foi descoberto que a população de queixadas, onças e antas desapareceram em áreas importantes. Além disso, vários parques nacionais da região não abrigam o número esperado de animais, apesar de mais de 22% da área terrestre do país estar sob algum tipo de proteção.

Com esses dados, os pesquisadores escreveram planos de ação para conservar onças, queixadas e as florestas no Panamá, incluindo programas de educação, extensão, incentivos econômicos e a criação de alianças entre instituições segundo o Nature World News.

Nota da Redação:  Os assassinatos de animais nunca podem ser justificados e são ainda mais absurdos quando outras espécies são condenadas à morte devido à irresponsabilidade humana. As predações de vacas e de outros animais por onças-pintadas são resultado das ações dos homens que interferem na natureza e prejudicam seu equilíbrio. É lamentável que a maioria das onças tenha sido morta justamente porque lutou pela própria sobrevivência tão ameaçada pelos seres humanos. 

, , , ,