Tartarugas são devolvidas à natureza após tratamento no Guarujá (SP)

Após seis meses de tratamento no Instituto Gremar, duas tartarugas foram devolvidas ao mar no Guarujá, litoral de São Paulo na última semana. Elas foram resgatadas em praias de Bertioga e São Vicente (SP), feridas e debilitadas.

As duas foram soltas na região de Ilha Rasa, em mar aberto. Equipes do instituto chegaram até o local, a aproximadamente quatro quilômetros da orla de Guarujá, por meio de embarcação.

Tartarugas voltam ao mar após tratamento (Foto: Divulgação/Gremar )

As tartarugas são de espécies diferentes. A que foi encontrada em Bertioga, na Praia do Indaiá, é uma tartaruga-de-pente. De acordo com os veterinários, ela tinha sinais de afogamento, além de estar abaixo do peso, com cracas pelo corpo e parasitose e também ter ingerido lixo. A outra, uma tartaruga-verde, resgatada em São Vicente, na Praia de Itaquitanduva, tinha fibropapiloma – lesão benigna da pele – no entorno dos olhos e das nadadeiras, nas quais havia também um anzol.

Durante o tempo em que estiveram em tratamento, foi feita a recuperação da capacidade respiratória, além de terem sido realizados estímulos para retomada da alimentação. Para que pudessem se recuperar das lesões, as tartarugas foram submetidas a exames clínicos e cirurgias.

Após ser constatada melhora clínica, a equipe do Gremar decidiu devolvê-las ao mar. O trabalho de monitoramento das praias é desenvolvido pelo instituto como condicionante para a obtenção do Licenciamento Ambiental Federal do pré-sal da Bacia de Santos (SP).

Fonte: Anda

, ,