Saiba por que os cachorros perseguem o próprio rabo

A primeira alternativa para justificar a cena que encanta alguns tutores é exatamente essa: chamar a atenção deles. O comportamento é mais comum em cães jovens e, se forem estimulados com recompensas (petiscos) ou frases de alegria (“ai, que gracinha!”), os cães entendem que sua estratégia de agradar ao tutor está dando resultados. Cachorrinhos gostam de brincar, e descobrir a cauda pode ser um grande divertimento. Em cães jovens, isso costuma ser passageiro e não constitui em si um problema. Se o comportamento não agrada ao tutor, uma alternativa para reduzir e até suspender o corre-corre é não dar atenção ao animal quando ele começar a brincadeira.

A questão é quando o cão morde a cauda a ponto de não conseguir parar ou nem mesmo dormir, o que revela um transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) no animal. É importante que o tutor preste atenção se a atitude de correr atrás do rabo é um entretenimento ou consequência da falta de opções como companhia, brinquedos e de passeio: estressado, o cão pode se distrair com o próprio rabo. Ansiedade e falta de atenção também podem contribuir com comportamentos compulsivos em cães.

Divulgação

Divulgação

Outras vezes, pode o animal estar com a cauda ferida e o ato de correr atrás do rabo pode vir acompanhado de choro ou sinais de indignação. Não raro o cão, depois de correr atrás da cauda, senta e lambe-a compulsivamente, o que pode ser um indício de ferimento, pulgas, fungos e até mesmo carrapatos. Uma boa examinada na região pode esclarecer a dúvida. A cauda pode estar sem pelo e bastante vermelha como consequência das agressões que vem sofrendo, seja pela língua do animal, seja pelo ferimento em si. Glândulas perianais inflamadas é outro fator que deve ser pesquisado principalmente em cães adultos.

Pode acontecer da causa ser tratada e o cão permanecer com a mesma mania – comportamento que ficou em sua memória como algo prazeroso, uma vez que a lambedura conferia alívio ao ferimento. Cães reconhecidamente ansiosos e cujos tutores, sem êxito, já tenham alterado o manejo com vistas à redução da ansiedade são candidatos à terapia comportamental. Embora seja raro, existem casos em que há a liberação de hormônios que estimulam a área no cérebro responsável pelo prazer, insensibilizando o animal contra a dor. Em casos mais severos, o animal pode morder o rabo até mutilar partes dele.

Mas calma! À primeira vista, cães correm atrás do rabo por puro divertimento, devendo o tutor se certificar que se trata mesmo apenas de uma forma de entretenimento.

Dicas:
– Evite o “não ter nada a fazer” na vida do seu cão. Mantenha-o ativo com brinquedos inteligentes;
– Se o cão corre atrás do rabo para brincar e isso não agrada o tutor, o melhor a fazer é simplesmente ignorar;
– Verifique a saúde do pelo e pele na cauda do cão;

Divulgação

Divulgação

Fonte: Revista Donna

, , ,