Reserva concede licença para matarem elefante de presas gigantes

Uma licença para caçar um suposto elefante de presas gigantes foi concedida pela Timbavati Private Nature Reserve, que faz fronteira com o Kruger National Park, na África do Sul.

A caça é uma séria ameaça ao futuro dos elefantes africanos. Dezenas de milhares de elefantes são assassinadas anualmente para abastecer a demanda por marfim.  Mais de 80 elefantes foram mortos no Kruger National Park desde setembro de 2015 sugerindo que a caça epidêmica está se espalhando em direção ao sul, conforme apontado pela organização de proteção animal Born Free.

Os elefantes chamados “super tuskers” são aqueles cujas presas são grandes o suficiente para chegar ao chão. Cada uma de suas enormes presas pode pesar tanto quanto uma pessoa comum e elas são valorizadas por caçadores de “troféus”. Estes animais mais velhos são altamente ativos do ponto de vista reprodutivo e os elefantes que possuem entre 40 e 55 anos são considerados mais propensos a ter filhotes semelhantes.

Podem existir apenas 20 elefantes de presas gigantes vivos em toda a África. O Kruger National Park e as reservas privadas circundantes são um dos últimos lugares a abrigar a espécie no continente.

O diretor associado da Born Free, Mark Jones, disse: “A Born Free se opõe à matança de qualquer animal por esporte ou prazer. Entretanto, vender uma licença para que um caçador de ‘troféus’ possa alvejar um elefante de presas gigantes é particularmente prejudicial, numa época em que os elefantes em todo o continente africano estão sob enorme pressão devido à caça de marfim”.

“Há muito poucos [elefantes] de presas gigantes deixados em África e sua proteção é vital para que seu conhecimento e seus genes possam ser passados para futuras populações de elefantes. Esta decisão cínica é claramente focada no lucro em curto prazo e só pode prejudicar a reputação de Timbavati e da África do Sul e o futuro dos elefantes restantes. Isso deve ser revertido”, acrescentou.