Orca órfã prospera na natureza ao lado de bebê 15 anos após ser resgatada
Orca nada com seu bebê

Foto: BC Killer Whale Research Report/Facebook

A orca A73 ou “Springer” foi vista pela primeira vez com seu novo bebê pela estação de pesquisa de baleias Cetaceab Lab, na costa da British Columbia, no Canadá, e o nascimento foi confirmado recentemente pelo Departamento de Pescas e Oceano do país.

O novo bebê é mais uma conquista notável para Springer que, no início de 2002 era uma órfã desnutrida com dois anos de idade em Puget Sound, perto de Seattle, Washington, nos Estados Unidos.

Um exame minucioso de fotos e a análise de suas vocalizações revelaram que ela havia se desviado de um grupo de orcas no Norte, encontradas principalmente desde a Ilha de Vancouver, no norte de British Columbia ao Sudeste do Alasca, nos Estados Unidos. A mãe de Springer, A45 (Sutlej), não era vista desde Setembro de 2000.

Tendo em vista o distanciamento de seus parentes, a condição de deterioração da orca e os movimentados canais de transporte que ela encontrou – além do hábito desconcertante de se aproximar de embarcações – pesquisadores e ativistas do Canadá e dos Estados Unidos concordaram em reabilitá-la e depois libertá-la na natureza com a esperança de que ela se reintegrasse a sua grande família.

Springer foi pega em junho de 2002 e convalesceu algumas semanas em Puget Sound, nos Estados Unidos, onde foi monitorada e alimentada. Em meados de julho, ela foi levada para Blackfish Sound, no Norte da Ilha de Vancouver, no Canadá.

Seus cuidadores não sabiam se ela poderia retornar para seus parentes. Porém, poucas semanas após a libertação, Springer foi vista viajando com orcas selvagens.

Inicialmente, uma fêmea adulta e sem filhotes chamada Nodales pode ter sido sua mãe adotiva. Seus salvadores comemoraram o sucesso do regresso à natureza, especialmente em 2013, quando Springer foi vista com seu primeiro bebê, A104, o “Spirit”.

As últimas notícias de seu segundo ciclo de maternidade chegam 15 anos depois do regresso da orca ao seu habitat, segundo o Earth Touch News Network.

“A história de Springer é uma inspiração em muitos níveis. Ela provou que uma orca órfã, isolada e separada de sua família pode ser reabilitada e retornar a uma vida produtiva normal com sua família e comunidade”, disse em um comunicado Paul Spong, da OrcaLab, um centro de pesquisa de baleias, baseado na Ilha de Hanson, próximo a Johnstone Strait, no Canadá.

Fonte: Anda

, ,