Dezenas de cães resgatados da indústria da carne reencontram a paz

Dezenas de cães criados para a indústria da carne na Coreia do Sul foram resgatados e transportados para a Carolina do Norte (EUA) onde estão à espera de novos lares.

Os 31 cães, referidos como “cães de carne” viviam em condições miseráveis em Jeonju, ao sul de Seoul. Os animais fizeram essa longa viagem após serem explorados em uma fazenda de carne de cachorro, onde teriam sido assassinados.

“O comércio de carne de cachorro é ultrajante. Estes animais vivem em gaiolas estéreis, temos que impedir esta indústria”, disse Kelly O’Meara da Humane Society International.

Foto: Harry Lynch

Foto: Harry Lynch

Ativistas da Humane Society e um abrigo de Maryland trabalharam em conjunto para resgatar os animais, segundo a WNCN. Os cães foram levados a Cary, na Carolina do Norte.

Em um estacionamento de um shopping do estado norte-americano, voluntários os acolheram. Os animais de todas as formas e tamanhos foram posteriormente colocados em vans e enviados para diversos abrigos que não provocam a morte induzida em todo o estado. Depois, eles serão disponibilizados para adoção.

Antes de deixarem a Coreia do Sul, os cachorros foram colocados em quarentena para serem levados para San Francisco. Eles seguiram para Washington DC para uma estadia temporária antes de chegarem finalmente à Carolina do Norte.

O’Meara explicou que levar os animais para os EUA aumenta a sensibilização das pessoas sobre a urgência de acabar com o comércio de carne de cachorro. Os animais foram salvos como parte de um programa iniciado há dois anos para impedir as fazendas de cães na Coreia do Sul.

Foto: Humane Society

Foto: Humane Society

Mais de 500 cães socorridos foram levados para os EUA e para o Canadá para encontrarem novas famílias desde o início do programa.
São oferecidos incentivos àqueles que exploram os animais para que permitam que os cachorros sejam adotados e transformem suas operações em fazendas agrícolas, segundo o Daily Mail.

Cachorros explorados em fazendas de carne normalmente vivem em jaulas excessivamente pequenas, estéreis e são alimentados com restos descartados até serem vendidos aos matadouros. Estima-se que os sul-coreanos consomem em torno de 1,5 milhão a 2,5 milhões de cães todos os anos.

A boa notícia é que esta indústria terrível está em declínio e há pouca demanda entre a geração mais jovem, de acordo com um relatório divulgado em abril.

O voluntário Paul Alexander, ficou emocionado em participar da operação de resgate dos cães: ‘É simplesmente incrível. Esta noite eles poderiam ter sido o jantar de alguém, mas agora receberão o jantar”.

Nota da Redação:  Estes cães ganharam uma segunda chance graças ao empenho de ativistas dedicados, porém, diversos animais não possuem finais felizes e são assassinados para abastecer o comércio deplorável de carne de cachorro. Vale ressaltar também que bilhões de outras espécies como vacas, porcos e galinhas são mortas pela indústria da carne. Se os assassinatos de cães causam horror a muitas pessoas, a mesma sensibilização deve ocorrer em relação aos outros animais, pois nenhuma morte pode ser justificada.

Fonte: Anda

, , ,