Destruição de habitats: 620 animais resgatados em área urbana

As margens de uma rodovia no município de Barra de São Miguel, na Paraíba, dois filhotes de águia chilena foram resgatados pelo Batalhão de Polícia Ambiental da Paraíba (BPAmb). Somente no primeiro quadrimestre deste ano, o BPAmb resgatou 620 animais silvestres e outros 1.809.

Considerada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), como um animal em extinção, a águia-serrana, também conhecida como águia-chilena, é uma ave de rapina encontrada em boa parte do Brasil. Gosta de habitar áreas montanhosas e campestres, onde é frequentemente observada planando. Generalista, caça desde aves, serpentes até pequenos roedores.

A águia mede de 62-69 cm de comprimento, envergadura de até 2 m, e peso médio de 1.600 g (macho) e 3.000 g (fêmea). O adulto possuí dorso cinza-escuro, coberteiras finamente barradas de preto. A cabeça e o pescoço de mesma coloração do dorso, partes inferiores brancas. O jovem apresenta plumagem marrom-escuro com partes inferiores mescladas de castanho, similar ao jovem de Geranoaetus albicaudatus, diferenciando-se principalmente pela silhueta.

Os dois pássaros resgatados no início deste ano são considerados raros e foram encaminhados ao Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), onde receberão tratamento. De janeiro a abril de 2017, o local recebeu, ao todo, 1.277 animais e as aves representam o maior número. Nesse período, foram 1.112 pássaros.

Após um tratamento, os animais que entram no Cetas são preparados para serem devolvidos à natureza se estiverem em condições. A equipe de agentes do Cetas fez a liberação de cobras como jiboia, salamandra e boipeva na área próxima à Barragem de Gramame. Os animais foram resgatados em João Pessoa.

De acordo com dados do Cetas, foram devolvidos até agora: 1.112 aves, 85 répteis, 80 mamíferos, um total de 1.277 animais.

Fonte: Anda

, , ,