Cão “canguru” espera cirurgia para se livrar da dor

Tigger nasceu com “ectrodactilia”, ou síndrome da pata de lagosta, que faz com que suas pernas dianteiras sejam mais curtas e as patas deformadas. É um problema doloroso, que dificulta a sua locomoção.

Na maioria das vezes, Tigger usa suas patas traseiras para caminhar e subir no colo das pessoas, o que o faz ficar parecido com um canguru. Eve Good, sua cuidadora, conta que, apesar da dor e das dificuldades, Tigger é um cão muito carinhoso e brincalhão.

Infelizmente, a dor parece estar piorando a cada dia. Após percorrer distâncias curtas, Tigger tende a parar e esperar a ajuda de alguém. Os veterinários se preocupam com a artrite crescente e, sem a cirurgia, ele poderá ficar completamente debilitado.

“Se isso não for corrigido, a vida dele ficará significativamente pior. Será extremamente doloroso, ” disse a veterinária Sarah Ostrin ao The Huffington Post. “É surpreendente que Tigger tenha sobrevivido até agora. Muitos cães com a mesma condição sucumbiram por conta da artrite e da dor imobilizante,” continua ela.

Diversos médicos da Universidade de Oregon estão trabalhando para realizar uma cirurgia que vai corrigir as patas de Tigger e permitirá que ele use próteses. Assim, ele vai poder caminhar quase normalmente.

O caso irá beneficiar centenas de outros animais que passam pelo mesmo problema, pois ele servirá de estudo para os veterinários que buscam ajudar cães com deficiência.

A resiliência e a energia de Tigger são exemplo para aqueles que negligenciam animais deficientes, mostrando que eles também merecem amor.

“Os cães que precisam de cuidados especiais, eles não se acham problemáticos. Para eles, tudo está bem. Eles só precisam de pessoas que os amem, seja qual for a situação, ” diz Good.

Acompanhe as aventuras do Tigger em sua página do Facebook.

Fonte: Anda

, ,