Bebê orangotango órfão encontrado chorando na floresta faz novos amigos

O primeiro dia de escola pode ser assustador, especialmente quando você não conhece nenhum dos seus colegas de classe. Para um bebê orangotango chamado Gatot, isso não foi exceção.

Um homem relatou que estava à procura de lenha em uma floresta perto de Jelai Hulu, na Indonésia, quando ouviu um animal chorar. Ele seguiu os sons e encontrou Gatot, que era apenas um bebê pequenino com pelos vermelhos.

Não se sabe se a história é verdadeira. Não há relatos de mães de orangotangos que abandonaram seus bebês: elas permanecem com seus filhotes até que eles completem sete ou oito anos. Por isso, ficou evidente que Gatot era órfão.

Enquanto ninguém sabe exatamente o que aconteceu com ele, é provável que os moradores da região tenham assassinado sua mãe, enquanto preparavam a floresta, que é o habitat dos animais, para plantações de óleo de palma.

O homem levou Gatot para sua casa, tratando-o como um bebê humano e alimentando-o com o leite em uma garrafa. Embora isso possa parecer “fofo”, manter orangotangos como animais domésticos é ilegal e muito prejudicial para os animais; eles podem desenvolver distúrbios psicológicos e sofrer de desnutrição, juntamente com outros problemas.

IAR

IAR

Recentemente, os orangotangos de Bornéu também foram listados como criticamente em perigo devido à caça e à perda de habitat. Quando um orangotango é retirado de seu habitat, há um efeito prejudicial para toda a espécie.

Felizmente as autoridades descobriram sobre o homem que mantinha Garot como um animal doméstico e alertaram o Animal Rescue International (IAR) para resgatá-lo.

De acordo com a página do Facebook do IAR, Gatot é o menor e mais jovem orangotango atualmente sob seus cuidados. Depois de lhe fornecer tratamento médico, a equipe do IAR sabia que o melhor para Gatot era socializá-lo com outros orangotangos e ensiná-lo habilidades para sobreviver na natureza, como escalar e procurar alimentos.

IAR

IAR

Em seu primeiro dia de escola, a enfermeira Fitri levou Gatot para conhecer seus colegas. Porém, ele estava com medo e assustado e gritou e se agarrou a Kandi, outro orangotango órfão.

Kandi deixou Gatot ficar com ele por um tempo, mas ele estava meio receoso, afinal,  Gatot estava fazendo muito barulho. Assim, Gatot agarrou-se a Jamila, um orangotango fêmea mais velho. Ao contrário de Kandi, ela parecia bastante feliz em abraçá-lo e ajudá-lo a enfrentar o nervosismo do primeiro dia.

Com a ajuda de seus novos amigos, Gatot deve se dar bem na escola e aprender tudo o que precisa saber sobre ser um orangotango selvagem, informou o The Dodo.

“O primeiro dia em qualquer escola é difícil e é comovente ver  Gatot em busca de conforto nos outros orangotangos em torno dele”, disse em um comunicado Alan Knight, CEO do IAR.

“No entanto, é entre sua própria espécie que ele irá aprender os comportamentos e as habilidades de que precisa para ser preparado para a vida de volta na natureza. Não tenho dúvidas de que em breve ele se adaptará ao seu novo ambiente e irá crescer com confiança”, completou.

Fonte: Anda

, , , , ,