Beagles salvos de laboratórios encontram novas famílias

Três beagles resgatados de laboratórios de pesquisa, Libby, Chara e Lilabeth, receberam uma segunda chance e agora saboreiam a liberdade após encontrarem novas famílias.

Isto ocorreu graças à Lei Beagle Freedom assinada neste mês pelo governador de Nova York Andrew Cuomo. A lei exige que cães e gatos que não forem mais explorados em pesquisas sejam colocados para adoção por meio de organizações de proteção animal ou de abrigos.

Beagles são frequentemente usados em pesquisas devido ao seu comportamento dócil e ao seu pequeno porte. Eles também possuem uma imensa capacidade de perdoar e quando não são mais “úteis” para os pesquisadores, podem ser adotados e ser grandes companheiros.

No entanto, como tudo o que estes animais conhecem é uma vida de confinamento e escuridão, uma vez que ele são libertados, muitas vezes não sabem como lidar com isto e se comportarem como os cães criados em liberdade.

Reprodução/TimesUnion

Reprodução/TimesUnion

Estima-se que há 65 mil cães em centros de pesquisa nos Estados Unidos e a maioria deles nunca viu o sol, tocou na grama,  passeou com uma coleira e não foi treinada para fazer suas necessidades nos lugares adequados. Eles também não podem subir um lance de escada porque seus músculos ficam atrofiados devido ao confinamento.

“Eles nunca sequer ouviram o vento. É um planeta estranho. Tudo é novo e é difícil ser tirado de uma jaula para a grande extensão do mundo”, disse Cristal Fortin, que adotou Lilabeth.

Após serem resgatados dos laboratórios, geralmente os beagles precisam ser colocados em um orfanato antes de irem para a adoção. Isso porque eles têm desafios especiais e peculiaridades comoventes que são o resultado da crueldade a que foram submetidos por tanto tempo.

Embora alguns laboratórios coloquem os animais que não serão mais abusados para adoção, outros provocam a morte induzida de cães e gatos que não são considerados mais necessários.

Reprodução/TimesUnion

Reprodução/TimesUnion

Espera-se que a Lei Beagle Freedom salve as vidas de cerca de 500 a mil cães e gatos a cada ano.

A ONG Beagle Freedom Project que apresentou o Projeto de Lei afirmou que agora há uma lista de espera com 60 mil famílias prontas para adotar um animal explorado em testes, informou o World Animal News.

“As pessoas querem resgatá-los de volta para a felicidade”, declarou Kevin Chase, integrante da ONG.

Cães e gatos  serem salvos de laboratórios ajudam a conscientizar o público sobre a crueldade desta indústria.

“Não acho que o público está ciente disso. Acredito que as pessoas não sabem como é terrível”, disse MaryBeth Rutkowski de Glenmont, que adotou Libby.

Santino Thomas, que acolheu Chara, contou ao Times Union que, quando a beagle pulou pela primeira vez no sofá, a família emocionada porque significava que suas pernas traseiras tinham se fortalecido.

“São estes pequenos momentos que nos animam tanto, momentos que têm outro significado no caso de cães que viveram normalmente”, conta Thomas.

Nota da Redação:  A lei Beagle Freedom é uma enorme vitória para os direitos animais e deveria servir de exemplo para todo o mundo. Como todos os animais, estes beagles merecem desfrutar de uma vida em liberdade e feliz.  Um triste contraponto  a esta notícia é o caso dos beagles cegados emtestes cruéis realizados pela Universidade de Missouri, também nos Estados Unidos. A crueldade da instituição nos mostra que devemos percorrer um árduo caminho em nome dos animais.

Fonte: Anda

, , ,