Abandono de animais cresce no final de ano, afirma Codevida

Com a chegada das festas de final de ano aumenta a preocupação em relação a animais domésticos abandonados. A época, segundo a Coordenadoria de Defesa da Vida Animal (Codevida), órgão da Prefeitura de Santos (SP), costuma apresentar um alto número de casos devido às viagens que resultam no aumento de animais nas ruas. Estima-se que nessa época, o abandono, principalmente de cães, cresça entre 60% e 70% em todo o País.

Em Santos, apenas em novembro, 22 animais foram abandonados na Codevida. A média, ao longo do ano, é de no máximo cinco abandonos mensais. Segundo a coordenadora do órgão, Leila Abreu, “há aqueles que deixam para a última hora e aqueles que simplesmente abandonam”.

“Quem não puder pagar um hotel, pode optar por amigos ou por pessoas que vão até as residências, diariamente, tratar dos animais. Agora é a hora de buscar essas opções”, explica Leila, acrescentando que já há vários hotéis no Brasil que aceitam hóspedes com cães e gatos.

EM BUSCA DE SOLUÇÕES

Animais abandonados são a maior causa de procriação desenfreada. Para enfrentar o problema, cerca de 6 mil cirurgias de castração são realizadas anualmente pela Administração Municipal.

Além disso, na Cidade são realizadas, mensalmente, as feiras de adoção, que acontecem no Salão de Mármore do Estádio Urbano Caldeira (Rua Princesa Isabel s/n, Vila Belmiro). Há, ainda, o projeto Padrinho de Final de Semana. Os interessados em passar sábado e domingo com um cão da Codevida devem agendar uma entrevista.

Fonte: A Tribuna

, , , ,