Quem já teve um filhote de estimação sabe o quanto é importante pensar em cada detalhe na hora de decorar a casa e evitar que os objetos acabem no estômago do bichinho. Com as plantas não é diferente. O ideal é eliminá-las ou colocá-las fora do alcance dos animais para que não ofereçam risco de intoxicação.

Algumas plantas caseiras, como comigo ninguém pode, copo de leite, antúrio, azaleia, espada de São Jorge, lírio, violeta, samambaia e a própria maconha (seja ingerida ou inalada), podem ser tóxicas para cães e gatos e, em situações mais graves, até levar à morte. O perigo é ainda maior porque, de acordo com alguns estudos, muitos animais costumam comer grama para acelerar o trânsito intestinal.

Por isso, explica a médica veterinária Carla Storino Bernardes, de 36 anos, a recomendação é deixar água sempre à vontade para o seu bichinho. “Se não tiver água, o animal pode procurar nos vasos de plantas”, continua. Outra opção é buscar a ajuda de um veterinário e um vendedor especializado para escolher plantas que não sejam tóxicas.

Fique atento aos sinais

Os sintomas de intoxicação variam de acordo com o tipo de planta ingerido, o tamanho e a idade do animal, mas geralmente começam com vômitos prolongados, diarreias, convulsões, perda do controle muscular, fraqueza e alterações neurológicas.

Se detectar qualquer um destes sinais, lave a boca e os olhos do bichinho com água corrente, colete partes da planta que o animal engoliu e procure um veterinário. “O especialista deverá ser informado sobre o tipo e a quantidade de planta ingerida, horário presumido da ingestão e os sintomas observados antes da consulta”, completa Carla.

Fonte: G1